27 de Setembro de 1981 – Show de Gilles na vitória de Laffite – Dia 129 dos 365 dias dos mais importantes da história do automobilismo

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

O GP do Canadá de 1981 era a penúltima etapa do campeonato, e o título poderia ser decido em Montreal. Cinco pilotos estavam na disputa:

1) Carlos Reutemann (Williams) 49 pts

2) Nelson Piquet (Brabham) 46 pts

3) Alain Prost (Renault) 37 pts

4) Alan Jones (Williams) 37 pts

5) Jacques Laffite (Ligier) 34 pts

Para o argentino ser campeão no Canada ele precisava vencer e Nelson Piquet ser no máximo o 5º colocado, assim a contagem ficaria 58 para Reutemann contra 48 de Piquet. Mas no quali o piloto da Brabham mostrou que seria difícil termos o campeão antecipado, marcando a pole, Reutemann dividia a primeira fila com ele. Alan Jones e Alain Prost partiriam na segunda fila, Nigel Mansell (Lotus) e Hector Rebaque (Brabham) na terceira fila. Jacques Laffite largaria em decimo e o piloto da casa Gilles Villeneuve (Ferrari) em 11. O irmão de Gilles Villeneuve, Jacques Villeneuve não conseguiu classificar a Arrows para o grid de largada e privou os canadenses de verem os irmãos juntos na pista, ficaram de fora também os carros da equipe da Fittipaldi, Chico Serra e Keke Rosberg seriam meros espectadores em Montreal. Curiosidade: em 1980 Jody Scheckter campeão do ano anterior não conseguira classificar-se para o GP canadense, em 1981 o futuro campeão Keke Rosberg também ficara de fora da mesma prova. Mas a sorte do finlandês logo começaria a mudar pois Alan Jones anunciava sua saída da F1 e ele seria contratado pela Williams para substituir o australiano. Outro assunto que circulava no paddock era o provável retorno de Niki Lauda as pistas.

A prova foi disputada sob forte chuva e já na primeira volta Rene Arnoux (Renault) já ficou de fora após ser tocado pela Ferrari de Pironi. Alan Jones liderou no início, Piquet bem conservador perdeu algumas posições, Reutemann irreconhecível despencou para o fim do grid. Prost, Laffite, Villeneuve, Watson e Pironi foram os destaques da primeira parte da prova. As Williams não se deram bem na chuva, Jones e Reutemann figuravam nas posições intermediárias levando voltas dos líderes, um desempenho incompatível com a equipe que era a líder do campeonato de construtores.

Fonte: @Pinterest

Piquet adotou uma postura extremamente cautelosa sendo superado por Laffite, Villeneuve, Watson e Prost. O piloto da Brabham parecia aguardar uma melhora nas condições da pista para atacar. A chuva alternava entre forte e moderada, mas de qualquer maneira o dia nublado dificultava a secagem da pista. Os 3 primeiros abriram grande vantagem para o resto do pelotão com uma disputa intensa entre Watson e Villeneuve. Alan Jones foi o primeiro que deu adeus ao título ao abandonar na volta 24. Gilles não resistiu à pressão de Watson caindo para terceiro lugar. Ao ultrapassar o retardatário Nigel Mansell tocou na Lotus do inglês danificando de maneira irremediável a asa dianteira de sua Ferrari.

Fonte: @Pinterest

Começou aí um show de Gilles que ajudou a criar a mística da Ferrari 27. O canadense em momento algum mostrou-se disposto a parar nos boxes, fazendo várias voltas com a asa completamente torta, chegando ao ponto de atrapalhar sua visão. Quando a direção de prova se preparava para lhe mostrar a bandeira preta a peça soltou-se e a Ferrari pode seguir até o final. A esta altura Piquet havia sido superado pela Alfa Romeo de Bruno Giacomelli caindo para a sexta posição e ainda contando com a perigosa aproximação da McLaren de Andrea de Cesaris. Mansell voltou a aprontar, rodando sozinho danificou sua asa traseira, insistiu em voltar a pista e na última curva do circuito simplesmente obliterou Alain Prost que era o quarto colocado e se mantinha vivo na disputa do título, fim do sonho para Prost e a Renault.

Fonte: @Pinterest

A prova teve que ser encerrada na volta 63, 7 antes do previsto pois atingiu o limite de 2 horas. Vitoria merecida de Jacques Laffite da Ligier que chegava a 43 pontos e iria para a etapa final em Las Vegas na disputa pelo campeonato, completaram o podium John Watson e Gilles Villeneuve. Nelson Piquet chegou na quinta posição marcando 2 preciosos pontos na disputa pelo título. Carlos Reutemann completou em uma modorrenta 10ª posição, 3 voltas atrás dos líderes, definitivamente um desempenho bem aquém de quem estava liderando a disputa pelo título. O campeonato chegaria assim aos Estados Unidos:

1) Carlos Reutemann (Williams) 49 pts

2) Nelson Piquet (Brabham) 48 pts

3) Jacques Laffite (Ligier) 43 pts

Fonte: @Pinterest

A última vez que 3 pilotos chegaram na prova final disputando o título fora em 1974 e desde 1976 que o título não era decidido no GP final. Reutemann, Piquet ou Laffite, qual deles seria o 19º piloto a ser campeão da Fórmula 1? A resposta seria dada na fabulosa Las Vegas. Voltando ao chuvoso GP de Montreal, algumas efemérides foram registradas em terras canadenses:

Рapesar da p̩ssima prova a Williams conquistou neste GP o bicampeonato de construtores;

– foi a última vitória de Jacques Laffite e também do motor Matra;

Fonte: @Pinterest

Infelizmente foi a última apresentação de Gilles Villeneuve no seu país, e posso afirmar sem sombra de dúvidas que naquele domingo a vitória brilhante e merecida foi de Laffite mais o show foi de Villeneuve.

Cristiano Seixas

Fã hardcore de Fórmula 1, apreciador da historia, números e estatísticas da categoria, mais conhecido como Mestre Cristiano Seixas, pois é um PHD e MDA em Fórmula 1 ainda é Graduado, Pós-Graduado, Mestrado e Doutorado sobre História da Fórmula 1, Wikipedia erra o Cristiano não.

You May Also Like

%d blogueiros gostam disto: