Lauda volta ao pódio e Ferrari vence o campeonato de construtores, mas Hunt se aproxima – Dia 142 dos 365 dias mais importantes da história do automobilismo

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

O histórico campeonato de 1976 vivia seus momentos finais. A penúltima prova daquele certame em 10 de outubro no circuito de Watkins Glen, nos Estados Unidos (Aquele era o GP dos EUA Leste, pois no começo do ano, houve outra corrida na terra do Tio Sam, em Long Beach, na Costa Oeste).

Fonte: Statsf1.com

A memorável batalha entre Niki Lauda e James Hunt poderia ter o desfecho em solo estadunidense, caso o austríaco da Ferrari conseguisse somar dois pontos a mais que o britânico da McLaren. No entanto, a tarefa parecia difícil, pois Lauda ainda se recuperava do terrível acidente sofrido em agosto, no circuito de Nurburgring. Hunt é quem tinha a condição mais favorável para alcançar seu rival.

A situação já se confirmou na classificação, com Hunt garantindo a pole, tendo ao seu lado a Tyrrell de Jody Scheckter. Lauda, por sua vez partia de quinto, embolado em um comboio da March, com Ronnie Peterson, Vittorio Brambilla e Hans-Joachim Stuck.

O dia da corrida chegou e uma cena não vista em Rush acaba por revelar o armistício entre os protagonistas daquele campeonato: No hotel em que estavam hospedados, Lauda acorda Hunt e avisa ao inglês que seria campeão do mundo naquela tarde. Os dois riram e se entenderam, dando fim a qualquer animosidade que veio a ocorrer durante a temporada. A rivalidade ficaria apenas para dentro da pista

Agora a corrida: Na largada, Scheckter pula melhor e assume a ponta, com Hunt no seu encalço. Lauda teve trabalho no começo, mas conseguiu se livrar do comboio da March em quatro voltas para assumir o terceiro posto. No entanto, o piloto da Ferrari não tinha ritmo para alcançar o sul-africano e o piloto da McLaren.

Fonte: Statsf1.com

A corrida seguiu equilibrada, com trocas de posições no meio do pelotão até a volta 15, quando Jacky Ickx perdeu o controle de sua Ensign e bateu forte no guard-rail. O bólido foi dividido ao meio com a parte da frente presa nas lâminas de proteção, enquanto o restante do carro ficou parado na pista com um princípio de incêndio. Incrivelmente, o belga conseguiu sair dos restos do carro mancando e, apesar de precisar passar em um hospital sofreu apenas uma lesão no tornozelo e queimaduras leves.

Fonte: Statsf1.com

A corrida prosseguiu de forma bem nervosa e os problemas foram se sucedendo. Jochen Mass acertou a Brabham de José Carlos Pace em disputa de posição, tirando o brasileiro da corrida e o deixando irritado. Na sequência, o pneu da Ligier de Jacques Laffite explodiu, possivelmente como consequência dos destroços do acidente de Ickx. O mesmo problema também afetou a March de Brambilla. O italiano e o francês deixaram a prova.

Na frente, a disputa entre Scheckter e Hunt teve a presença dos retardatários para atormentar a dupla. Primeiro foi o sul-africano a ser atrapalhado pela Surtees de Henri Pescarolo. Com isso, o britânico encontrou a brecha para fazer a ultrapassagem na volta 37. Quatro giros depois, foi a vez do piloto da McLaren sofrer com a Williams de Warwick Brown e ser superado novamente pelo corredor a bordo da Tyrrell. Imagina se Sebastian Vettel corresse naquela época o que iria reclamar?

A disputa estava equilibrada, mas com pista limpa, a McLaren M26 rendia melhor do que a Tyrrell P34 (aquela de seis rodas) e, na volta 46, Hunt finalmente assumia a ponta para não perder mais. Apesar de não ter mais o mesmo rendimento do começo da prova, Scheckter ainda conservava uma vantagem sólida para Lauda e manteve o segundo posto.

O austríaco, por sua vez, conduziu a sua Ferrari ao terceiro lugar. Era a primeira vez que Lauda subia ao pódio depois do seu acidente. Os quatro pontos conquistados também garantiram à escuderia italiana o título de construtores de 1976. Apesar disso, Hunt conseguiu descontar ainda mais a desvantagem em relação à Lauda para míseros três pontos, mantendo a disputa muito viva.

Fonte: Statsf1.com

Faltava apenas uma corrida, com a decisão em Fuji, no Japão. O desfecho dessa história é lembrada por muitos, mas estes detalhes virão em breve nesta coluna, recordando este grande certame.

Eduardo Casola Filho

Sou formado em jornalismo pela Uniso, torcedor do Corinthians e adoro esportes, especialmente automobilismo!

You May Also Like

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: