Hamilton está mais próximo do tetracampeonato, depois de abandono de Sebastian Vettel

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Foi menos desesperador para a Mercedes ao ver Sebastian Vettel com problemas pouco antes da largada. Uma corrida comprometida por uma vela no motor do seu carro, que custou uma queda de rendimento drástica e evoluiu para um abandono. O alemão tinha tudo para pressionar o inglês nesta prova e comprovar o seu bom rendimento com alguns graus a mais na pista, mas ficou só na promessa mesmo.

Uma reta final de campeonato onde a Ferrari viu as suas melhores oportunidades, escapando das mãos sem ter chance alguma de lutar. O inferno astral acabou chegando, o sonho prometido no começo da temporada de dar mais um título para a Alemanha abordo de uma Ferrari, parece dar o seu adeus definitivo e agora 59 pontos separam Vettel do líder do campeonato. O alemão agora corre o risco de perder o segundo lugar para Bottas, já que apenas 13 pontos separam os dois.

Mais uma vez Hamilton foi arrojado e cauteloso, tudo na medida certa, para se manter na frente de Verstappen que fez mais uma impressionante corrida, deixando para trás os abandonos que assombraram o então piloto da Red Bull ao longo do ano. As últimas voltas foram de tirar o folego e bem protagonizadas por estes dois personagens. Hamilton tendo que lidar com vibrações no carro e utilizando os retardatários para se manter na frente, mas Vertappen parecia não se importar com os obstáculos e continuou com a sua caçada até a bandeira quadriculada ser balançada para o inglês.

Mais uma corrida daquelas que pensamos, por onde a Red Bull andou no começo da temporada. E mais uma vez, repito segura do que eu disse no Grande Prêmio da Malásia, a equipe austríaca pode não estar disputando o campeonato com nenhum dos seus dois pilotos, mas vai ser decisiva nesta reta final, tirando pontos de todos os lados.

Felipe Massa concluiu a corrida em décimo, sendo atacado por Fernando Alonso até o final e aliás o piloto da Williams, mais o da McLaren, foram exatamente os retardatários usados por Hamilton para aumentar a distância para Verstappen.

O rádio de Jolyon Palmer não foi para o ar na transmissão, mas o britânico, apesar de tudo, agradecia a participação na Fórmula 1, ”Obrigado a todo, foi um prazer correr com todos vocês”. Meu lado emocional foi acionado ao escutar esse rádio, é realmente triste ver um piloto sendo chutado para fora da categoria faltando poucas corridas para o termino da temporada. Além disso Palmer sai marcado como um piloto ruim e como alguns disseram por ai, que não merecia está oportunidade, onde estes, simplesmente se esqueceram do seu passado. Ele pode apenas não ter se adaptado a categoria. Mais um piloto sendo ”punido” pela Fórmula 1. Deixo os meus votos para que ele possa ter outras oportunidades e que esse não seja o ponto final da sua carreira. 

lll Saiba como foi a corrida

A Ferrari mexia no carro de Sebastian Vettel ainda no grid, pois havia surgido um problema com as velas no motor do seu carro.

Na largada Hamilton mantinha a ponta e Vettel seguia em segundo, com uma certa dificuldade. Ocon ganhava a posição de Ricciardo e se tornava o quarto colocado. Enquanto Sainz saia para fora da curva 6 e batia na barreira de pneus. Verstappen conseguia ultrapassar Sebastian Vettel, pulando para a segunda posição. Raikkonen disputava a pista com Hulkenberg e acabava extravasando os limites da mesma, perdendo 4 posições.

Aos poucos o carro de Vettel começava a perder posições e o piloto da Ferrari era o sexto colocado, com o rendimento caindo gradativamente e o alemão avisava que estava sem potência no motor. Na segunda volta o Safety Car entrava na pista, para a remoção do carro de Sainz.

Na terceira volta o grid era, Hamilton, Verstappen, Ocon, Ricciardo, Bottas, Vettel, Pérez, Massa, Hulkenberg e Magnussen.

A relargada que acontecia na quarta volta, Vettel seguia perdendo posições, era ultrapassado por Pérez e assumia o sétimo lugar. Stroll perdia o controle do carro e caia para décimo sétimo, após andar fora dos limites da pista.

A equipe chamava Vettel para os boxes e o alemão precisava abandonar a prova, era a quinta volta.

Hamilton seguia na ponta e fazia a volta mais rápida da pista com 1:34:917.

Marcus Ericsson acabava batendo na curva 9, após perder o controle do carro e ir de encontro a brita, o Safety Car virtual acabava sendo ativo na nona volta, para a remoção do carro da Sauber.

Stoffel Vandoorne realizava a sua primeira parada e retornava com os pneus macios na décima volta.

O SC tinha fim na volta 11 e Ricciardo atacava Ocon para conseguir a terceira posição. O inglês da Mercedes já abria pouco mais de 3 segundos para Max Verstappen que estava na segunda posição.

Kimi Raikkonen que trabalhava em uma estratégia diferente, largando de pneus macios, já aparecia na oitava posição e aproveitava para atacar Felipe Massa, o finlandês estava colado no brasileiro. A ultrapassagem acontecia na reta de largada, no início da volta 14.

Hulkenberg começava o processo de aproximação para cima de Massa e tentativa do piloto da Renault era de conseguir a oitava posição. Na décima oitava volta Felipe Massa seguia para os boxes e Hulkenberg pulava para a oitava posição.

Raikkonen começava a caçada, para conquistar mais uma posição no grid, era a vez do piloto atacar Pérez para conseguir a sexta posição e a ultrapassagem era realizada ainda na vigésima volta.

Ocon que estava em quarto parava na volta seguinte e retornava em décimo segundo com os pneus macios.

Dos ponteiros Verstappen era o primeiro a parar e conseguia retornar na quarta posição, mas praticamente em cima de Kimi Raikkonen, mas conseguia se manter na frente do finlandês da Ferrari.

Hamilton parava na vigésima terceira volta, fazendo uma parada perfeita e tinha tempo suficiente para retornar na frente do holandês da Red Bull e Ricciardo era o novo líder da prova, seguido por Valtteri Bottas.

Verstappen na quarta posição, fazia a volta mais rápida, marcando 1:33:813.

Ocon pressionava Palmer e garantia a sétima posição na vigésima quinta volta. Na volta seguinte era a vez de Ricciardo fazer a sua parada e tinha um pequeno problema, que fazia o australiano retornar na quinta posição. Bottas se tornava o líder e Hamilton vinha logo em seguida.

Verstappen começava a diminuir a distância entre ele e Hamilton e menos de 2 segundos separavam os dois. O inglês da Mercedes reclamava sobre o desgaste de pneus do companheiro de equipe e Bottas trocava de posição com Hamilton, para ampliar a distância entre o piloto da Red Bull e o seu companheiro de equipe.

Raikkonen fazia a sua parada na vigésima nona volta e retornava na sexta colocação, na frente dos dois carros da Force India.

Verstappen acabava perdendo tempo atrás de Bottas e tinha dificuldade para conseguir realizar a ultrapassagem e só conseguia retornar para a segunda posição, quando o finlandês era chamado para os boxes na volta 31.

O piloto da Red Bull precisava retornar para o processo de aproximação do piloto da Mercedes e levaria algum tempo para conseguir atingir os menos de 2 segundos que separavam os dois, mas o holandês conseguia ser um pouco mais veloz que o rival.

Na volta 35 as posições eram: Hamilton, Verstappen, Ricciardo, Bottas, Raikkonen, Hulkenberg, Ocon, Pérez, Palmer e Massa.

Hulkenberg que ainda não havia parado era informado sobre a sua situação se parasse nas próximas voltas. O piloto da Renault que se encontrava na sexta posição, acabaria retornando na entre Magnussen e Grosjean, que ocupavam a décimo primeira e a décimo segundo lugar.

A Toro Rosso incentiva Pierre Gasly a atacar os carros da Haas, para tentar conquistar o décimo lugar e obter um ponto no campeonato, mas os carros tinham um rendimento muito semelhante e seria bem difícil realizar esse feito. Os carros que estavam na frente do piloto da Toro Rosso se encontravam bem próximos, já fazia umas 4 voltas.

Nico Hulkenberg parava na volta 39 e ao invés de retornar entre os carros da Haas, acabava ficando atrás de Pierre Gasly, mas atacava o piloto da Toro Rosso imeditamente, realizando a ultrapassem e conquistando a décima primeira posição.

Palmer fazia a sua parada na volta seguinte, depois do companheiro de equipe e retornava na décima segunda posição. Hulkenberg retornava para os boxes na volta quarenta e dois, pois a sua asa traseira estava travada e o piloto era recolhido. Era fim de prova para o alemão.

Magnussen e Massa acabavam se tocando na 43 volta e o brasileiro perdia a posição para os dois carros da Haas, retornando em décimo. Magnussen e Grosjean ocupavam a oitava e a nona posição.

Vestappen conseguia reduzir a diferença para pouco mais de 2 segundos, com Hamilton e restavam apenas 6 voltas para o final.

Stroll acabava com um pneu furado e perdia o controle do carro, abandonando na volta 48. O Safety Car virtual era ativo novamente.

A pista era liberada na volta 50 e restavam apenas 3 voltas para o final.

Alonso havia colado em Massa e Bottas em Ricciardo. Hamilton começava e reclamar de vibração nos pneus traseiros e o piloto da Red Bull diminuía a distância para pouco mais de um segundo.

O inglês precisava se manter na ponta e usava os retardatários na pista para evitar a ultrapassagem. O grande problema era que Alonso e Massa estavam disputando a décima posição.

Com as duas últimas voltas mais longas para o inglês da Mercedes, sendo pressionado até a bandeira quadriculada, conseguia negociar na pista, para se manter na ponta e conquistar mais uma vitória na temporada.

Massa conseguia se manter na décima posição, sem Alonso conseguir concluir os seus ataques.

O pódio era composto por Hamilton, Verstappen e Ricciardo. O australiano também conseguiu segurar muito bem as investidas de Bottas e garantir a terceira posição.

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou em mim o interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Fiz da RBR minha casa e meu carro favorito é a Kinky Kylie.

You May Also Like

%d blogueiros gostam disto: