Ferrari vence em Mônaco depois de 16 anos, Force India não pontua e McLaren perde a sua melhor chance

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Sebastian Vettel está construindo o seu campeonato pouco a pouco e cada vez está mais perto do se tornar pentacampeão. Conseguiu aproveitar a largada em décimo quarto do seu rival direto pela briga do campeonato, para conquistar pontos preciosos e ainda aumentar a vantagem entre eles. O alemão também soube aproveitar a estratégia da equipe, ficando um tempo a mais que o finlandês na pista para conseguir abrir distância, tendo tempo para voltar à frente do seu companheiro de equipe. Vale lembrar que na parada de Raikkonen o mesmo teve problema com um dos pneus traseiros, por isso acabou demorando para deixar os boxes.

| Saiba como foi a corrida

Do pit-lane Jenson Button falava com Fernando Alonso que está nos Estados Unidos aguardando para entrar na pista na disputa pelas 500 Milhas de Indianápolis, em um papo bem entre amigos e um pedido para Button cuidar do seu carro e fazer o melhor. Essa era uma grande oportunidade de ver a equipe pontuar. Button tinha que esperar o último passar pela faixa branca para poder sair do pit-lane.

A largada foi tranquila, sem nenhum incidente. Hamilton que saia em décimo terceiro ganhou uma posição. Ainda na abertura da corrida Pascal Wehrlein aproveitava para já fazer a troca de pneus dos supermacios (faixa vermelha) para os ultramacios (faixa roxa), assim como Jenson Button, mas os dois quase se tocaram no pit-lane, o que rendeu uma punição de 5 segundos para Wehrlein.

O começo da corrida estava bem tranquila e sem incidentes. Na volta 17 Nico Hülkenberg era visto com a sua Renault espalhando óleo na pista e fazendo uma fumaceira, o piloto acabou encostando o carro, teve problemas no câmbio e a sua corrida acabava ali. Na volta seguinte Pérez se encaminhava para os boxes da equipe depois de quebrar a asa dianteira do carro e aproveitou a parada para já colocar os pneus supermacios.

Hamilton reclamava da falta de pressão aerodinâmica do seu carro e dizia que ele vinha espalhando na pista. Marcus Ericsson com a sua Sauber acabava balançando muito e quase perdia o carro. Hamilton ganhava posições e já era visto em décimo.

A aproximação de Vettel em Raikkonen aconteceu quando eles encontraram alguns retardatários na pista e era difícil de chegar até eles para realizar as ultrapassagens, Bottas também acabou encostando na dupla da Ferrari.

A janela de paradas deu início na volta 33 com Max Verstappen e Bottas. Kimi Raikkonen parou na 35 e teve problemas na troca do seu pneu traseiro, além disso voltou no meio do trafego e acabou perdendo mais tempo. Vettel que estava de cara para o vento, começou a sua busca por voltas rápidas na pista e aumentar a distância entre ele e o seu companheiro de equipe. Fazendo a parada na volta 39 e sem nenhum problema voltou à frente de Raikkonen. Ricciardo também tinha uma parada perfeita e voltava em terceiro lugar, para a infelicidade de Max Verstappen.

Hamilton fazia um stint mais longo e ele e Vandoorne eram os únicos entre os dez que não haviam parado. Mas a McLaren levou muito tempo para chamar o seu piloto e Vandoorne foi parar na volta 44, da sétima posição ele caia para décimo. Hamilton parou na 47 e perdia somente uma posição para Sainz da Toro Rosso.

Na volta 61 depois de uma batida entre Button e Wehrlein que acabou assustando todo mundo pela forma como alemão ficou na pista, com o carro virado em 90º e virado para o soft-wall. Pascal não saiu ferido, mas foi muita sorte, a equipe falava com o piloto e ele ainda brincava que preferia não estar naquela posição. E com a quebra da suspensão Button abandonava a corrida.

Os pilotos que haviam tomado volta dos líderes foram liberados para passar o Safety Car, Ericsson foi um deles mas acabou se dando mal e foi de encontro com o muro de contenção, mas o problema estava na pista, na Sainte-Dévote o asfalto estava se soltando e foi um dos motivos para o piloto da Sauber ter perdido o carro.

 A relargada se dava na volta 67 e a diferença de dez segundos que Sebastian Vettel abria para Raikkonen tinha ido toda pelos ares. Todos os pilotos estavam muito próximos. Ricciardo segurava Bottas e Max Vestappen aumentava as suas investidas. Vandoorne era pressionado por Sergio Pérez e perdia o controle do carro também na Sainte-Dévote e via a sua oportunidade de pontuar com o carro da McLaren ir para os ares. As investidas de Pérez não pararam ali e ele acabou colocando Daniil Kvyat para fora da corrida também, tentando fazer uma ultrapassagem na La Rascasse, onde não havia espaço para os dois. Pérez que danificou o seu carro com a batida teve que fazer mais uma parada.

Vettel vinha para receber a bandeira quadriculada, acabando com o jejum de 16 anos sem vitórias da equipe no Principado de Mônaco, repetindo assim um feito de Michael Schumacher. Essa foi a primeira corrida que os dois carros da Force India não acabaram entre os dez. Além disso vale destacar o bom desempenho de Carlos Sainz da Toro Rosso que tiveram um final de semana incrível e terminando em sexto lugar. Hamilton conseguiu levar alguns pontos com o sétimo lugar. E Massa que acabou a corrida na nona posição ainda saiu no lucro depois do final de semana desastroso da equipe e com Stroll abandonando na volta 74. Dessa vez os dois carros da Haas colocaram os seus carros na zona de pontuação, Grosjean acabou em oitavo e Magnussen em décimo. Palmer terminou a corrida sem se envolver em nenhum incidente na décima primeira posição.

A próxima corrida acontece no Canadá daqui 15 dias.

Vettel comemora o triunfo e a manutenção da liderança na tarde ensolarada de Mônaco. Fonte: @F1

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou em mim o interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Fiz da RBR minha casa e meu carro favorito é a Kinky Kylie.

You May Also Like

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: