Dia 45 de 365 dias dos mais importantes da história do Automobilismo – 05 de julho de 1981 – A primeira das 51 vitorias do Professor Prost

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Dijon Prenois, França, naquele distante domingo 5 de julho de 1981 era disputado o GP de n.º.: 350 da Fórmula 1, o 67º Grand Prix de France, sem dúvidas uma das mais tradicionais provas do automobilismo mundial. Mas o que tornou este GP histórico foi o futuro, pois seu vencedor se tornaria em pouco tempo um dos maiores nomes da Fórmula 1.

Fonte: Divulgação

Chegávamos ao meio de uma temporada conturbada fora da pista, com a disputa entre FISA (atual FIA comandada por Jean Marie Balestre e FOCA (atual FOM comandada por Bernie Ecclestone), havíamos tido um GP que não fora considerado válido para o campeonato, realizado em Kyalami na África do Sul e uma guerra pelo controle da categoria estava em curso e se arrastaria até 1982. Dentro da pista o caldeirão também estava fervendo, principalmente na campeã Williams que havia dado uma polêmica ordem de equipe na segunda etapa no Brasil, ocorre que o segundo piloto do time, o argentino Carlos Reutemann ignorou o time e venceu a prova causando a fúria do primeiro piloto da equipe e campeão de 1980, o australiano Alan Jones, acabando de vez com o clima dentro da equipe.

Fonte: @RenaultSportF1

O campeonato chegou a Dijon com o seguinte top 5: Reutemann 37 pontos, Jones 24 pontos, Piquet 22 pontos, Villeneuve 21 pontos e Laffite 17 pontos.

Entre os construtores: Williams 61, Ferrari 26, Brabham 25, Ligier 17 e Lotus 12. A dupla da Renault, Alain Prost era o 13º com 4 pontos e Rene Arnoux o 16º com 2 pts, entre as equipes a Renault vinha em um modesto 7º lugar com 6 pontos, diga-se de passagem, um desempenho nada animador até então.

Mas os ares franceses parecem ter feito bem a equipe dos carros turbo amarelos. Rene Arnoux marcou a pole, tendo a seu lado na primeira fila a McLaren de John Watson, a outra Renault com Alain Prost partiria da 3º posição com Piquet em 4º, Jacques Laffite era o 6º, Carlos Reutemann o 7º, Alan Jones o 9º e Gilles Villeneuve o 11º.

O domingo amanheceu nublado e quente em Dijon, receita perfeita para … chuva. Na largada Rene Arnoux sofreu da famosa síndrome de Webber-Barrichello e despencou da pole para a 9ª posição, Nelson Piquet foi pela grama para superar Prost e Watson assumindo a liderança, outra largada digna de nota foi a de Gilles Villeneuve que veio da 11ª para a 5ª posição. Prost supera Watson na terceira volta e ali já era possível perceber que a asa dianteira de sua Renault balançava muito. Rene Arnoux se recuperou bem de sua péssima largada chegando a 5ª posição na volta 8 e iniciando a disputa pelo 4º posto com Reutemann.

Fonte: @RenaultSportF1

Piquet liderava tranquilo até a volta 58 quando a chuva finalmente deu o ar da graça, e como não existia safety car naqueles tempos a direção de prova teve que levantar a bandeira vermelha e interromper o GP, a classificação era essa:

Fonte: Reprodução

Assim que a chuva passou foi dada a nova largada e dessa vez Piquet ficou para trás. Prost cuja Renault teve o bico arrumado partiu como um foguete para assumir a ponta. Na pista os 6 primeiros eram: Prost, Watson, Arnoux, Piquet, Reutemann e Pironi. Mas como a bandeira vermelha não eliminava as diferenças de tempo anteriores a ela, passou a ser mais importante olhar a cronometragem do que a pista para se ter certeza da classificação correta.

A partir daí nenhum acontecimento digno de nota, a não ser o fato do piloto da Renault #15, Alain Prost, conquistar ali a primeira vitória de sua carreira na Fórmula 1. O que talvez ninguém imaginasse à época era que apenas 6 anos mais tarde aquele francês baixinho e narigudo superaria a lendária marca do recordista de vitórias que até então era o escocês Jackie Stewart com 27 triunfos.

Fonte: @RenaultSportF1

| O GP da França de 1981 terminou assim:

Fonte: statsf1.com

| O campeonato que marcaria o primeiro título de Nelson Piquet saiu assim de Dijon Prenois:

Fonte: statsf1.com

Cristiano Seixas

Fã hardcore de Fórmula 1, apreciador da historia, números e estatísticas da categoria, mais conhecido como Mestre Cristiano Seixas, pois é um PHD e MDA em Fórmula 1 ainda é Graduado, Pós-Graduado, Mestrado e Doutorado sobre História da Fórmula 1, Wikipedia erra o Cristiano não.

You May Also Like

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: