Dia 38 de 365 dias dos mais importantes da história do Automobilismo – 28 de junho de 2015 – Em um final Eletrizante Nelsinho Piquet sagra-se o primeiro campeão da Formula E

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

A Formula E chegou fazendo barulho, uma heresia, tratando-se de uma categoria de carros totalmente elétricos cujos motores fazem pouquíssimo barulho. O anuncio da criação da categoria ocorreu em 27 de agosto de 2012 e contou com um apoio de peso, a chancela da FIA. A princípio poucos pareceram levar o anuncio a sério e muitos acreditavam que seria mais uma categoria a aparecer cheia de pompa e circunstância e que desapareceria rapidamente tal qual já ocorrera com a A1 GP e Superleague Formula.

A categoria teve praticamente 2 anos de preparação para finalmente debutar no dia 13 de setembro de 2014 com Eprix de Beijing na China. Diferentemente da A1 GP e da Superleague cujas equipes em sua maioria eram propriedade de astros do show bizz ou estrelas de outras modalidades esportivas, logo nada tinham em comum com o automobilismo, a categoria dos carros elétricos atraiu equipes e marcas totalmente ligadas ao esporte a motor como a eDams Renault sob a batuta de ninguém menos que Alain Prost, Audi Abt, uma das equipes mais fortes do DTM, Andretti Autosport, super vencedora no automobilismo norte americano, Dragon Racing, comandada por Jay Penske, filho da lenda Roger Penske. Alinhavam no grid também: Virgin Racing, Mahindra, Venturi, Trulli Team, Amlin Aguri e Nextev (inicialmente China Racing).

Com relação aos pilotos a nova categoria também acertou em cheio tendo em seu grid pilotos com experiência internacional em diversas categorias: Nick Heidfeld, Bruno Senna, Jarno Trulli, Antonio Felix da Costa, Stephane Sarrazin, Sam Bird, Oriol Servia, Jean Eric Vergne, Charles Pic, Marco Andretti, Nicolas Prost e claro os três pilotos que protagonizaram a disputa pelo título, Nelsinho Piquet, Lucas di Grassi e Sebastien Buemi.

Após passar por Beijing (China), Putrajaya (Malásia), Punta del Este (Uruguai), Buenos Aires (Argentina), Miami e Long Beach (Estados Unidos), Mônaco, Berlim (Alemanha) e Moscou (Rússia), o certame chegava a etapa final que seria disputada nas ruas do Battersea Park em Londres com a novidade da rodada dupla. Nelsinho Piquet chegou a Londres liderando a disputa com 128 pontos, Lucas di Grassi com 111 e Sebastien Buemi com 105. O sistema de pontuação era o mesmo da F1, além disso o pole levava 3 pontos e a volta mais rápida 2 pontos. 60 pontos estavam em jogo no Battersea Park. Na prova de sábado Buemi cravou a pole e venceu, marcando 28 pontos e enchendo de esperança a equipe eDams Renault, Lucas di Grassi (Audi Abt) chegou em 4º e Nelsinho Piquet (Nextev) em 5º Di Grassi levou também os 2 pontos pela volta mais rápida. A classificação do campeonato para a prova final de domingo ficou assim:

1) Nelsinho Piquet 138 pontos

2) Sebastien Buemi 133 pontos

3) Lucas di Grassi 125 pontos

O domingo amanheceu nublado, não chegava a ser uma novidade tratando-se de Londres; a chuva como veremos seria decisiva para a formação do grid da prova que coroaria o primeiro campeão da Formula E. A classificação da categoria é dividida em 4 grupos com 5 pilotos; quem estava no grupo 1, Sarrazin, Heidfeld, Senna, Fontana e D’ambrosio se deram bem, afinal não caiu uma gota sequer no tempo em que estavam na pista. A chuva deu o ar da graça no final do grupo 2 em que estava Buemi. Já no grupo 3 onde estava Piquet Jr a chuva veio com tudo. Lucas di Grassi que estava no grupo 4 pegou a pista secando. O grid para a rodada final ficou assim: Sarrazin e D’ambrosio na primeira fila, Duval e Bird na segunda, Senna e Buemi na terceira, Di Grassi partiria em 11º e Nelsinho Piquet em um distante 16º lugar. Tratando-se de uma pista estreita e com grandes dificuldades de ultrapassar e dadas as posições dos postulantes ao título, Buemi largava como favorito disparado, mas como já dizia o mestre Juan Manuel Fangio: “corridas são corridas”.

Fonte: @Tumblr

A prova de domingo teve a largada ao modo tradicional com os carros parados no grid, diferente do sábado que teve largada lançada por problemas ocorridos na primeira chicane. Nelsinho Piquet mostrando uma garra incrível pulou para 12º lugar já na partida, melhor ainda, o carro à sua frente era seu companheiro de equipe Oliver Turvey, Buemi era o 5º e Di Grassi era o 9º, tudo ia bem para o suíço da eDams Renault. Stephane Sarrazin liderava seguido por Loic Duval, Jerome D’ambrosio, Sam Bird, Sebastien Buemi, Bruno Senna. As posições se mantiveram inalteradas até a volta 16 quando começaram as paradas para a troca de carro, foi aí que o Eprix londrino ganhou contornos de drama e emoção. Buemi e Di Grassi pararam nesta volta para trocarem seus bólidos, Piquet Jr arriscou tudo ficando mais 1 volta na pista. Na volta dos pits Buemi cometeu o erro que lhe custou o título, rodou logo ao voltar à pista perdendo uma posição vital para Bruno Senna.

Fonte: @Tumblr

Volta 17, todos de volta a pista, a classificação mostrava Sarrazin, Duval e Bird nas 3 primeiras posições, Buemi era o 6º, Di Grassi o 7º, Piquet Jr era o 10º seguido pelo segundo carro da eDams Renault, Nicolas Prost. Na mesma curva em que Buemi rodara na volta anterior, Nelsinho quase rodou também, mas conseguiu segurar o carro na pista e resistir à pressão de Nicolas Prost. Algumas voltas mais tarde Fabian Leimer enfiou seu carro na barreira de pneus e provocou o safety car que Nelsinho Piquet tanto precisava.

Fonte: @Tumblr

Relargada na volta 22, Oliver Turvey cede a 9º posição para Nelsinho que na mesma volta parte com tudo para cima de Salvador Duran, chegando ao 8º lugar que lhe dava o título, pois Buemi estava em 6º e Di Grassi em 7º, da volta 24 até a volta 29 o que se viu foi um Buemi alucinado tentando superar Bruno Senna, com Di Grassi e Nelsinho assistindo ao pega de camarote. A briga pela vitória entre Stephane Sarrazin e Sam Bird tornou-se secundaria. Buemi tentou de tudo até a linha de chegada, mas não conseguiu superar Bruno Senna. Sarrazin foi o primeiro a receber a bandeirada, mas foi desclassificado por chegar ao final sem energia. Assim a vitória ficou para o piloto da casa Sam Bird, seguido por Jerome D’ambrosio, Loic Duval, Bruno Senna, Sebastien Buemi, Lucas di Grassi e o campeão Nelsinho Piquet. O primeiro campeonato da Formula E terminou assim:

1) Nelsinho Piquet 144 pontos

2) Sebastien Buemi 143 pontos

3) Lucas di Grassi 133 pontos

Fonte: @Tumblr

A narração das voltas finais da BBC britânica foi sensacional, e um fato me fez mudar muito senão totalmente a impressão deste que vos escreve sobre Nelsinho Piquet, na volta de desaceleração trazendo o carro aos pits o narrador da BBC entrou ao vivo pelo rádio com o campeão dando-lhe os parabéns pela conquista do título, Piquet Jr pergunta: eu venci? O animado narrador britânico responde que sim e Piquet Jr solta um “não sei o que dizer” e vai as lágrimas. Após uma conturbada saída da F1 em 2009 onde sua imagem ficou super queimada no meio automobilístico, o título da Formula E representou a redenção de Nelsinho Piquet que venceu a desconfiança de todos, confiou no seu talento, apostou em uma categoria nova, venceu com uma equipe sem apoio de montadoras, logo com menos recursos. Ao melhor estilo Fênix renascido das cinzas, só posso encerrar com um parabéns Nelsinho Piquet, primeiro campeão de uma categoria de carros elétricos da história.

Fonte: @Tumblr

Fonte: @Tumblr
Fonte: @Tumblr

Cristiano Seixas

Fã hardcore de Fórmula 1, apreciador da historia, números e estatísticas da categoria, mais conhecido como Mestre Cristiano Seixas, pois é um PHD e MDA em Fórmula 1 ainda é Graduado, Pós-Graduado, Mestrado e Doutorado sobre História da Fórmula 1, Wikipedia erra o Cristiano não.

You May Also Like

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: