Destino ou não, Átila Abreu consegue vitória na segunda prova em Mogi Guaçu

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Átila Abreu venceu segunda corrida, realizada hoje (06) em Mogi Guaçu no autódromo Velo Città. Largando novamente na liderança depois da primeira corrida tumultuada e após fazer uma primeira prova de recuperação, atrás do décimo lugar que garantiria para o piloto a primeira posição, devido ao grid invertido, tradição na segunda prova. Assim como Abreu havia colocado antes da largada, que o destino estava conspirando para a sua vitória.

O Segundo lugar ficou para Daniel Serra, piloto da Eurofarma RC, seguido por Gabriel Casagrande da Vogel, que depois de experimentar o gosto de vencer, quer mais estar no pódio sempre que conseguir e soube defender muito bem a terceira posição dos ataques de Thiago Camilo.

Após a realização da segunda etapa o campeonato ficou assim, Daniel Serra manteve a primeira posição agora com 209 pontos, contra 192 de Thiago Camilo, vice-líder do campeonato. Átila Abreu aparece em terceiro com 167, enquanto Felipe Fraga ocupa o quarto lugar com 153. Max Wilson é o quinto com 147.

ll Corrida

Para a segunda prova, Rubens Barrichello, Bia Figueiredo e Thiago Camilo ganhavam mais um botão de push pela votação realizadas pelo site.

Átila Abreu era o primeiro, seguido por Gabriel Casagrande, Daniel Serra, Sérgio Jimenez, Antonio Pizzonia, Galid Osman, Thiago Camilo, Vitor Genz, Cacá Bueno e Felipe Fraga. Marcos Gomes acabou largando dos boxes, já que havia sido desclassificado da primeira corrida.

Abreu conseguia manter a ponta, e Serra tomava a segunda posição de Gabriel Casagrande e tínhamos uma grande batida na primeira volta, envolvendo Rubinho, Zonta e Navarro, enquanto Bia Figueiredo escapava da pista e batia. O Safety Car entrava na pista. Felipe Lapenna ficava novamente fora da corrida. Bia Figueiredo que haviam ganhado o botão de push acabava voltando para os boxes e ficava um tempo parada na equipe.

Restavam 35 minutos quando o carro de segurança saiu da pista e os pilotos já acionavam o botam de ultrapassagem.

Galid Osman tentava conseguir a quarta posição de Jimenez os dois acabavam batendo e rodando na pista, a briga era pelo quarto lugar e Jimenez não deixava espaço para Osman.

A direção de prova identificava a queima de largada por Felipe Fraga e ele recebia a punição de drive-through, não tendo como escapar da punição desta vez.

Os carros estavam novamente muito colados e Valdeno Brito liderava esse pelotão de disputa, tendo Diogo Nunes, Ricardo Maurico e Guilerme Sales.

Bia Figueiredo voltava para a pista, para tentar terminar a corrida. Sergio Jimenez acabava recolhendo o carro para os boxes depois de receber a punição de drive-through.

Guilherme Sales e Valdeno Brito brigavam na pista pela décima segunda posição, mas ele não conseguia ganhar na disputa o lugar de Valdeno e acabava perdendo a décima terceira posição para Ricardo Mauricio.

A briga continuava e Sales acionava o botão de ultrapassagem e recuperava o décimo terceiro lugar que havia perdido para Mauricio. Valdeno Brito também acionava o botão para tentar abrir distância do pelotão. Jimenez voltava para a pista, apenas para cumprir a punição.

Abreu seguia liderando a prova. Mauricio e Sales alternavam o uso do botão de ultrapassagem e ele voltava a assumir o décimo terceiro lugar.

A janela dos boxes era aberta na volta 12 até a volta 18 e restavam 20 minutos para o término da sessão. Daniel Serra era o primeiro a ir para os boxes, mas não se demorava muito, já que havia realizado uma parada mais longa na primeira prova. Abreu parava na volta seguinte e conseguia voltar na frente de Daniel Serra ainda.

Pizzonia seguia na liderança da prova com Julio Campos em segundo, mas os dois ainda não haviam parado. Átila Abreu dava a volta mais rápida na pista marcando 1:30:251, mas na volta seguinte era a vez de Felipe Fraga quando marcava 1:30:088.

Na última volta da janela de boxes, Pizzonia realizava a sua volta e Abreu voltava a liderar a prova.

Cacá Bueno tentava recuperar a décima posição de Vitor Genz, mas o seu carro da Cimed acabava balançando muito a traseira.

Thiago Camilo tentava pressionar Gabriel Casagrande para conseguir o terceiro lugar, o piloto da Ipiranga só tinha o fã push para ser usado e restavam apenas quatro minutos para o final da segunda corrida. Camilo usou o botão mais não conseguia realizar a ultrapassagem, já que Casagrande conseguia defender a posição no braço. Os dois seguiram disputando a posição e na penúltima volta Casagrande usava o seu último botão de ultrapassagem e para ganhar distância e garantir o terceiro lugar.

Átila Abreu conseguia a sua décima vitória na Stock Car e mesmo não conseguindo ganhar a primeira prova, fez uma corrida de recuperação, garantiu o décimo lugar para largar novamente na ponta na segunda prova, para vencer ela como uma forma de justiça pelos resultados obtidos na classificação e em relação ao desastre que foi a largada da primeira corrida. Daniel Serra vinha em segundo e Gabriel Casagrande conseguia garantir o terceiro lugar.

Siga-me no Twitter!!!

Debora Almeida

Meus olhos brilharam quando eu vi o estilo de pilotagem do Vettel ele despertou em mim o interesse pelo esporte e cada vez mais eu queria entender sobre o assunto. Fiz da RBR minha casa e meu carro favorito é a Kinky Kylie.

You May Also Like

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: