Atualizações da Inglaterra: Asas Dianteiras

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

  O Grande Prêmio da Inglaterra é a corrida caseira de boa parte das equipes, inclusive a fábrica da Force India é vizinha ao circuito de Silvertsone. Com isso, não é surpresa que engenheiros e projetistas tenham tentado de tudo para ganhar cada milésimo de segundo extra no rápido e desafiador circuito inglês. 

Fonte: Formula1.com

Williams FW40

Em Silverstone, a Williams novamente realizou testes com seu novo nariz, visto pela primeira vez em Spielberg, o qual conta com uma pequena abertura vertical semelhante à utilizada pela McLaren, entretanto, o design da equipe de Woking é mais agressivo por contar com quatro aberturas muito maiores no suporte da asa dianteira. O novo desenho é similar ao modelo anterior, porém muito mais angulado na parte inferior, com o objetivo de criar vórtices e melhorar o fluxo de ar destinado aos sidepods e a parte traseira do carro. Após utilizar a nova versão nos treinos livres, a equipe decidiu voltar para o nariz antigo no sábado e no domingo, entretanto, a Williams continuou utilizando o novo desenho de barge boards introduzido na Áustria.

Fonte: Formula1.com

Claramente se inspirando na Mercedes, as novas barge boards são muito mais altas que suas antecessoras, formando apenas um elemento em forma de V. As bases tanto na placa principal, quanto nas secundárias agora contam com pequenos dentes, também similares aos utilizados pela Mercedes. 

Force India VJM10

Também na Inglaterra, a Force India introduziu sua nova asa dianteira, semelhante ao modelo usado pela Ferrari. A secção principal conta agora com apenas uma abertura mais longa ao invés de duas. As aletas principais também são diferentes, contando com dois perfis lineares, um a menos em relação ao modelo antigo. A nova asa foi usada durante o final de semana inteiro. 

Fonte: Formula1.com

Red Bull RB13

A equipe mudou as barge boards de seus monopostos mais uma vez, pelo menos a quarta mudança desde Melbourne. A parte inferior agora conta com uma aleta longitudinal côncava, semelhante à introduzida pela Ferrari no SF70H. Isso foi combinado com um elemento longitudinal extra adicionado às aletas sob o chassis. Juntamente com as atualizações aerodinâmicas na parte dianteira do carro, as mudanças resultaram em grandes revisões no desenho do RB13.

Fonte: Formula1.com

A Red Bull também levou uma nova asa dianteira para Silverstone. O novo desenho contava com uma entrada extra na parte superior ao lado da endplate, com o objetivo de melhorar o fluxo de ar ao redor dos pneus dianteiros. Daniel Ricciardo testou os modelos na primeira sessão de treinos livres e tanto o australiano, quanto Max Verstappen utilizaram a nova versão no Qualifying e na corrida.

Fonte: Formula1.com

Agradecimentos: Erika Prado 

Fonte do Texto: https://www.formula1.com/en/latest/technical/2017/7/tech-insight—nosing-ahead-at-silverstone.html

Siga-me no Twitter!!!

Fernando Campos

Brasiliense, podcaster, Team Pepsi, torcedor do Fluminense e de basicamente todos os times de Boston, além de ser dono de um talento sobrenatural para matar equipes de Fórmula 1 (basta perguntar para a Toyota, Lotus e Aston Martin, que sequer entrou mas provou do veneno). Seu habitat natural é o Twitter mas pode ser encontrado falando besteira em outros lugares também. Joga nas 11 com podcasts no Podcast F1 Brasil, vídeos no Boteco F1 e textos aqui no Boletim do Paddock, com direito a uma passadinha no Superlicense de vez nunca, além das redes sociais tupiniquins do Apex Race Manager.

You May Also Like

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: