01 de novembro 1998, Mika Hakkinen Campeão – Dia 164 dos 365 dias mais importantes da história do automobilismo

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×
Os pilotos de 1998 Fonte: @Tumblr

Mika Hakkinen da McLaren e Michael Schumacher da Ferrari chegavam a etapa final do campeonato de 1998 em Suzuka disputando palmo a palmo o título. A Williams dominante até 1997 havia entrado em declínio, mesmo processo iniciado pela Benetton 2 anos antes. A Ferrari que havia batido na trave no ano anterior precisava derrotar a renascida McLaren na disputa pelos títulos de pilotos e construtores. Após um início dominante dos prateados os vermelhos conseguiram equilibrar a disputa que chegava ao Japão com Hakkinen tendo 90 pontos contra 86 de Schumacher. Para tirar a Ferrari da fila Schumy precisava vencer com Hakkinen sendo no máximo terceiro lugar ou ser o segundo e torcer para o rival finlandês ser no máximo sexto lugar, logo a Ferrari necessitava de uma boa performance do segundo piloto Eddie Irvine. O embate Schumy x Hakkinen já havia ocorrido em 1990 no GP de Macau de F3 com o alemão levando a melhor com uma manobra discutível para cima do rival, mas em desvantagem desta vez o tudesco não poderia repetir as manobras de 1990, 1994 e 1997.

Largada Fonte: @Tumblr

Os ferraristas chegaram confiantes ao oriente, Michael correria até com uma pintura especial no capacete. E a esperança dos tiffosi aumentou ainda mais com a pole do alemão. Hakkinen largaria a seu lado na primeira fila. Os coadjuvantes Coulthard e Irvine estavam na segunda fila. Domingo ensolarado em Suzuka, tudo parecia perfeito para a Scuderia encerrar o jejum de títulos, mas a sorte começou a mudar na saída para a volta de apresentação. O pole Schumacher simplesmente não conseguiu sair do lugar, sendo necessário novo procedimento de largada, porém desta vez o ferrarista partiria da última posição. O alemão partiu possuído do fim do grid, completando a primeira volta na 12. colocação, galgando impressionantes 9 posições em uma única volta. Na volta 5 Schumy já estava em 7º tendo à frente o outrora rival Damon Hill. Irvine estava na posição em que deveria estar, segundo, só que Hakkinen liderava com folga.

Um furo no pneu e o adeus ao título Fonte: @Tumblr

Antes da metade da prova Michael já era o terceiro colocado, na prática o segundo pois quem estava a sua frente era Eddie Irvine. O título ferrarista dependia de um problema na McLaren de Mika. Mas o ritmo alucinante do alemão cobrou seu preço, na volta 31 um furo no pneu traseiro direito acabou com o sonho ferrarista. Mika Hakkinen era campeão de 1998, o primeiro título da McLaren na era pós Senna, a primeira conquista de um finlandês desde Keke Rosberg em 1982, a primeira conquista da Bridgestone e o primeiro triunfo de um motor Mercedes desde 1955. Um justo prêmio para um piloto que 3 anos sofrera um terrível acidente em Adelaide, que por muito pouco não foi fatal ou lhe deixou sequelas graves.

Fonte: @Tumblr

Daí até a bandeira quadriculada nenhum acontecimento digno de nota, Hakkinen venceu com facilidade sendo acompanhado no podium por Eddie Irvine e David Coulthard. Foi a última vez que a McLaren conquistou o título de construtores. Mas o GP nipônico marcou além do título de Mika Hakkinen e da McLaren a despedida de 2 ícones da F1:

– Goodyear deixava a categoria máxima com 493 GPs, 358 poles e 368 vitorias

– Tyrrell deixaria de existir após 430 GPs com 14 poles, 23 vitorias, 1 título de construtores e 2 títulos de pilotos, a equipe seria a BAR a partir de 1999

Tyrrell em sua despedida da F1 Fonte: @Tumblr

Cristiano Seixas

Fã hardcore de Fórmula 1, apreciador da história, números e estatísticas da categoria, mais conhecido como Mestre Cristiano Seixas, pois é um PHD e MDA em Fórmula 1 ainda é Graduado, Pós-Graduado, Mestrado e Doutorado sobre História da Fórmula 1, Wikipédia erra o Cristiano não.

%d blogueiros gostam disto: